Trabalho apresenta efeito da cheia e seca do Pantanal

Postado por: GABRIEL NERI GONÇALVES DE MATOS

(Iberê Perissé/Projeto Solos)

Aprendemos que, por ser uma planície sazonalmente inundável, o Pantanal se caracteriza pelo ciclo de seca e cheia (pulso de inundação). As plantas e os animais são adaptados às suas enchentes e secas anuais. Durante esta fase, as queimadas inadequadas e incêndios na região acentuam ainda mais o estresse dos animais. As chuvas periódicas são as principais responsáveis pelo transbordamento dos rios e lagoas que modificam constantemente a paisagem pantaneira.

Nas últimas décadas, essas mudanças têm sido observadas em curtos espaços de tempo e de forma mais intensa; desequilíbrios ecológicos provocam alterações nos regimes pluviométricos, originando secas extremas em alguns lugares e intensas enchentes pontuais em outros. Mas de forma geral espera-se que, no decorrer dos anos, as chuvas tornem-se cada vez mais escassas, prolongando os períodos secos.

Texto: Bianca da Silva – Repórter Júnior

Compartilhe:
Veja também